-->
ABRALE - Crie o seu Blog


Para mais informações acesse:

http://www.movimentocontraolinfoma.com.br/pagina/campanha-2013

Juntos Contra o Linfoma!



Escrito por Élida - Abrale Recife às 08h27
[] [envie esta mensagem] []



 

Diagnóstico precoce do linfoma ainda é desafio para a Saúde nacional

 

Se descoberto em estágio inicial, pacientes têm 85% de chances de cura. Mas o tempo de espera pelo resultado continua longo

 

 

Em maio entrou em vigor a lei federal que obriga o Sistema Público de Saúde a iniciar o tratamento do câncer em no máximo 60 dias após o seu diagnóstico.

 

Mas, na grande parte dos casos, é exatamente esse diagnóstico que demora para chegar. E isso pode atrapalhar, e muito, o tratamento de pacientes com linfoma, que muitas vezes passam meses realizando diferentes tipos de exames para finalmente descobrirem a doença.

 

Por ano, no Brasil, mais de 12 mil pessoas descobrem ter um linfoma, tipo de câncer que se diagnosticado precocemente, tem suas chances de cura aumentadas em mais de 85%.

 

Segundo o Dr. Paulo Hoff, diretor geral do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, dentre os principais desafios a serem melhorados na Saúde está o encaminhamento tardio do paciente ao hospital. “O T0, como chamamos o período pré-diagnóstico, é crítico, pois até o paciente chegar ao resultado, existe uma longa peregrinação”, disse durante a 8ª Conferência de Onco-Hematologia da ABRALE.

 

Já para o Dr. Jacques Tabacof, coordenador da Hematologia e Oncologia e membro do Comitê Científico Médico da ABRALE, também é fundamental que os profissionais estejam atentos e conheçam aos sinais da doença.

 

“A maioria dos casos de linfoma são inicialmente avaliados por clínicos gerais, pediatras, cirurgiões e outros profissionais, e a partir daí são encaminhados para os hematologistas quando existem suspeita do câncer. É muito importante atingir estes profissionais, pois encurtaria o tempo do diagnóstico definitivo”, disse.

 

Entenda o linfoma

Dividido em dois subtipos, linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin, seu principal sintoma é o inchaço indolor dos linfonodos (conhecido popularmente como íngua) no pescoço, nas axilas ou na virilha. Outros sinais também comuns ao linfoma são febre, suor (geralmente à noite), cansaço, dor abdominal, perda de peso, pele áspera e coceira.

 

O diagnóstico pode ser estabelecido com precisão pela biópsia de um linfonodo ou de outro órgão envolvido, como osso, pulmão, fígado ou outros tecidos. Outro exame muito importante e que ainda não consta no rol de procedimento do SUS é o PET Scan, realizado por meio de imagem.

 

O tratamento de ambos é baseado em quimioterapia, radioterapia e medicamentos chamados de anticorpos monoclonais. O transplante de medula óssea só é indicado quando o paciente não responde bem ao tratamento ou se já tem um doador compatível.

 

“É muito importante que todos estejam sempre atentos à sua saúde, e se notar algo diferente em seu corpo, procure um médico. O diagnóstico precoce do linfoma é o grande diferencial para se alcançar a cura, e o acesso ao melhor tratamento e exames é essencial para se chegar a este resultado. Por isso a ABRALE trabalha incessantemente, com o objetivo de levar informação correta a todos e cobrar de nossos governantes melhorias na Saúde pública do país”

 

Movimento Juntos Contra o Linfoma

Esta é a campanha da ABRALE 2013, criada em parceria com a IK Ideas e que conta com a participação dos artistas: Reynaldo Gianecchini – embaixador da ABRALE -, Mateus Solano, Marcio Garcia, Marina Ruy Barbosa, Daniel Rocha, Klebber Toleto e Rainer Cadete.

 

Oito filmes compõem a campanha e trazem os atores fazendo um apelo à prevenção da doença, que quando diagnosticada precocemente tem chance de cura de 85%. O mote da ação é: “Se toca. Quanto antes você descobrir, melhor”

 

Para mais informações, acesse www.movimentocontraolinfoma.com.br.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Escrito por Élida - Abrale Recife às 08h23
[] [envie esta mensagem] []



TODA AJUDA CONTA

 

REYNALDO GIANECCHINI ESTRELA NOVA CAMPANHA DA ABRALE

 

 

Em fevereiro de 2012, a ABRALE – Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia- lança a campanha “Toda Ajuda Conta”, com foco na captação de recursos para a continuidade e expansão de seus programas de apoio ao paciente com câncer do sangue de todo o país.

 

O ator Reynaldo Gianecchini, diagnosticado com linfoma em 2010 e recém transplantado de medula óssea, apadrinha pela segunda vez uma campanha da Associação. “Desde pequeno eu sempre contei com o carinho das pessoas. Na primeira novela eu contei com o apoio de grandes profissionais e no teatro com o aplauso da platéia. Só não imaginava que ia contar com uma força ainda maior - da ABRALE, que ajuda muita gente na luta contra o câncer”, declarou Gianecchini.

 

A ABRALE é uma organização sem fins lucrativos, que tem por missão alcançar a excelência e humanização do tratamento e qualidade de vida de pessoas com câncer do sangue no Brasil, por meio de pesquisa, produção e divulgação de conhecimento, mobilização política e apoio ao paciente e seus familiares.

Atualmente, o câncer já representa a segunda maior causa de morte no Brasil (INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER, 2009). Esse crescimento tem se refletido no aumento do número de tratamentos ambulatoriais, das taxas de internações hospitalares e dos recursos públicos demandados para custear os tratamentos. Como decorrência disso, os gastos federais com tratamentos ambulatoriais e hospitalares de câncer têm crescido ano a ano. Esse contexto de aumento progressivo da demanda por diagnósticos e tratamentos torna especialmente importante que a rede de assistência oncológica esteja adequadamente estruturada e que seja capaz de

 

possibilitar a ampliação da cobertura do atendimento, de forma a assegurar a universalidade, equidade e integralidade da atenção oncológica aos pacientes que dela necessitam.

 

“Tão importante quanto a instalação de centros de diagnostico e tratamento, equipes formadas e capacitadas é a participação da sociedade civil organizada ( movimento social) na construção de um sistema de saúde acessível , eficiente, qualificado e humanizado. Desta forma confiamos que o papel da ABRALE como agente da sociedade civil capacitado para  fomentar , fiscalizar, estimular, divulgar,conectar, registrar, acompanhar o que for relevante em termos de política pública e rede de atenção oncologica no Brasil , será cada vez mais importante”, diz Merula Steagall, presidente da ABRALE.

 

Para mais informações, acesse http://www.abrale.org.br/

 



Escrito por Élida - Abrale Recife às 12h57
[] [envie esta mensagem] []



Com apenas um clique, você pode ajudar a salvar milhões de pessoas em todo o Brasil, garantindo maior segurança nas transfusões de sangue!


O teste NAT, sigla em inglês para Teste de Ácido Nucleico, é o método mais eficiente na detecção dos vírus da Aids e Hepatites B e C no sangue.

  • 5% dos novos casos de Aids (HIV) que ocorrem a cada ano são causados por transfusões de sangue
  • Anualmente, as transfusões sanguíneas são responsáveis por cerca de 14 milhões dos infectados por Hepatite B, e, em média, por 4,7 milhões dos casos de Hepatite C
  • O risco de contrair HIV por transfusão de sangue no Brasil é 20 vezes maior do que nos EUA, que já utiliza o teste NAT em seus centros de tratamento 

Uma vez comprovada mundialmente a segurança do NAT, é direito de todo cidadão receber sangue livre de contaminações, pois a saúde é garantia constitucional, inserida entre os direitos fundamentais do cidadão.
O NAT oferece uma segurança 84% maior que os outros testes quanto à contaminação pelo vírus das Hepatites "B" e "C" e é 68%  mais seguro em relação à contaminação pelo vírus da AIDS (HIV), diminuindo o tempo entre a contaminação do doador e sua detecção no sangue, período  denominado "janela imunológica".

Embora a Portaria nº 1.353, de 13/06/11, venha regulamentar a atividade hemoterápica no país, estabelecendo diretrizes para a segurança no processo, ainda não tornou obrigatória a realização do teste NAT, considerado o mais seguro para o receptor.

Em função dessa realidade a ABRALE, ABRASTA, AMEO ? Associação da Medula Óssea, IBraFHI e ABHH - Associação Brasileira de Hematologia e de Hemoterapia promovem o presente MANIFESTO DO NAT, esperando contar com a adesão da população e da sociedade civil para que o Poder Público garanta às pessoas que dependem de transfusões o direito a uma transfusão segura.

Exija os seus direitos! Participe do manifesto.

 

 



Escrito por Élida - Abrale Recife às 09h47
[] [envie esta mensagem] []



Movimento contra o Linfoma é lançado no dia mundial contra a doença


Redação do DIARIODEPERNAMBUCO.COM.BR
15/09/2011 | 07h20 | Saúde

Hoje, 15 de setembro, é o Dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas. A doença não era muito conhecida até ter atingido a presidente Dilma Rousseff, o ator Reynaldo Gianecchini e o ator da série norte-americana Spartacus Andy Whitfield, que faleceu na última terça-feira. Mas apesar da recente divulgação dos casos, o câncer linfático continua sendo pouco conhecido entre as pessoas. É por isso que a Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale) lança hoje a sua campanha anual “Movimento contra o Linfoma”.

A representante da Abrale no Recife, Élida de Barros Varela, explica que é importante que as pessoas se informem cada vez mais, pois os sintomas do linfoma são muito sutis, como febre, tosse, cansaço ou inchaços no pescoço e na axila. “Muitas vezes os médicos têm problemas em identificar o câncer linfático. Mas se o paciente está com esses sintomas há mais de 15 dias e souber um pouco sobre a doença, deve alertar o seu médico”, afirma a assistente social. Uma pesquisa realizada em março deste ano pela Abrale, com 1.445 pacientes, revelou que 70 % dos pacientes esperam mais de 3 meses entre os primeiros sintomas e o início do tratamento contra o linfoma, e quase metade dentre eles aguardam mais de 6 meses para começar o tratamento.

José João da Silva Filho, 57 anos, foi vítima de um desses diagnósticos tardios. No fim de 2009 ele começou a sentir um forte mal-estar todas as noites e muitas dores de estômago. Durante quatro meses o aposentado passou por diversos exames e consultas com um médico particular que lhe receitava remédios para gastrite e úlcera. Em março de 2010, ele decidiu solicitar ao médico o seu próprio internamento.  O aposentado passou mais de um mês internado e perdeu cerca de 20 kg, mas conta sempre ter guardado o otimismo. “No fundo eu sempre soube que ainda não era a minha hora, eu não achava que ia morre”, contou.

De março a agosto de 2010, passou por oito sessões de quimioterapia. Mas diferentemente do que se pode pensar, esse não foi o momento mais difícil do seu tratamento: “Os piores momentos que eu passei foram antes de identificar o linfoma. O tratamento quimioterápico é duro, mas eu sabia o que estava acontecendo. Muito pior era sofrer sem saber o que tinha”.
João Silva realiza exames mensais. Ele afirma estar bem. Mas diz que ainda é cedo para se falar em cura, pois nos casos de câncer, o paciente deve esperar cinco anos sem nova incidência da doença para ser considerado curado.


Escrito por Élida - Abrale Recife às 13h23
[] [envie esta mensagem] []



ABRALE – MOVIMENTO CONTRA O LINFOMA

 

Artistas se unem para mostrar a toda população que o diagnóstico precoce é a principal maneira de se alcançar a cura da doença

 

 

No mundo, cerca de um milhão de pessoas têm linfoma, câncer do sistema linfático que origina-se da alteração de um tipo de glóbulo branco, chamado linfócito (parte da defesa natural do corpo contra infecções).

 

Dividido em dois subtipos, linfoma de Hodgkin (maior incidência em jovens de 15 a 19 anos) e linfoma não-Hodgkin (mais comum em crianças), seu principal sintoma é o inchaço indolor dos linfonodos (conhecido popularmente como íngua) no pescoço, nas axilas ou na virilha. Outros sinais também comuns são febre, suor (geralmente à noite), cansaço, dor abdominal, perda de peso, pele áspera e coceira.

 

Com o objetivo de alertar a todos sobre a importância do diagnóstico precoce, no dia 15 de setembro, em comemoração ao dia Mundial de Conscientização sobre Linfomas, a ABRALE (Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia), em parceria com a IK Ideas, realiza pelo segundo ano consecutivo a campanha “Movimento contra o linfoma. Se toca. Quanto antes você descobrir, melhor”.

 

Em 2010, o Movimento Contra o Linfoma aconteceu nas redes sociais, com o engajamento de milhares de pessoas que participaram da ação, divulgando as informações. Para 2011, a meta é engajar um número ainda maior de pessoas, garantindo que todos conheçam os sinais e sintomas da doença.

 

Os atores Amandha Lee, Caco Ciocler, Camila Morgado, Matheus Solano, Marcelo Airoldi e Odilon Wagner, e a apresentadora Sarah Oliveira são os padrinhos da campanha em 2011. A atriz Drica Moraes, que em 2010 realizou um transplante de medula óssea após obter o diagnóstico de leucemia, também irá estrelar a ação pelo segundo ano consecutivo. 

 

Os artistas, que além de terem um trabalho de sucesso, conquistam o público com sua visão social em prol da vida, participaram de uma sessão de fotos para a divulgação da campanha, além de estrelarem vídeos que mesclam informações e depoimentos de pacientes que venceram a batalha contra o linfoma.

 

“Esta campanha é de extrema importância para que toda a população conheça o linfoma e se conscientize que, com um simples movimento, muitas vidas podem ser salvas”, declara Merula Steagall, presidente da ABRALE.

 

 

Ano passado, mais de 300 mil pessoas assistiram, curtiram, compartilharam e entraram no Movimento Contra o Linfoma. 

 

Para mais informações, acesse www.movimentocontraolinfoma.com

 

Sobre a Abrale

Criada em 2002 por Merula Steagall, a Abrale representa os portadores de onco-hematologias (linfoma, leucemia, mieloma múltiplo e mielodisplasia). Seu trabalho se assenta sobre quatro pilares: apoio ao paciente, educação, informação e defesa de políticas públicas. Com um comitê científico composto por 33 médicos, além de enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, dentistas e terapeutas ocupacionais, os quais orientam os quase 30 mil filiados, a Abrale presta apoio médico, jurídico e psicológico gratuitos, além de atuar politicamente por melhoras nos tratamentos e disseminar informação por meio de campanhas e palestras. A entidade integra o Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde e é fundadora da Alianza Latina, liga que reúne 56 entidades do gênero em 17 países.

 

Informações à imprensa

Tatiane Mota – (11) 3149-5194 ou tatiane@abrale.org.br

www.abrale.org.br

 



Escrito por Élida - Abrale Recife às 13h21
[] [envie esta mensagem] []



Sem remédio, tratar leucemia vira ‘loteria’
05/09/2011


Nesta semana, o Hemocentro da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) deve comunicar a 14 pacientes com leucemia mieloide crônica (LMC) que eles deixarão de receber o medicamento de que precisam. Eles foram apontados nominalmente em um documento do Ministério da Saúde. Isso porque, segundo os médicos do Hemocentro, o grupo excede o teto estabelecido por uma portaria que limita em até 15%, por instituição de saúde, a porcentagem de pacientes com a doença que podem receber o medicamento de segunda linha – única opção para os que deixam de responder às opções de primeira linha.

Todas as instituições ouvidas pelo Jornal da Tarde afirmam que o índice de pacientes que necessitam dos medicamentos de segunda linha passa de 15% no Estado de São Paulo, que tem uma das prevalências mais altas de leucemias no País. Presidente da Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (ABHH), o médico Cármino Antônio de Souza estima que essa taxa fique entre 25% e 35% nos pacientes do País. “Vamos ter de chegar para esses pacientes e dizer que o governo decidiu que eles não podem mais receber o remédio”, critica.

Para Souza, a Portaria n.º 90/2011, que passou a ser aplicada em julho, representa uma “camisa de força” para o tratamento da LMC. No caso do Hemocentro da Unicamp, que atende a 40 pacientes com o medicamento de segunda linha, de um total de 176 pacientes com LMC, a estratégia tem sido realocar recursos para pagar os tratamentos “excedentes”. Hematologista da instituição campineira, José Francisco Marques Júnior diz que a situação trouxe uma crise financeira da ordem de R$ 150 mil por mês para a instituição.

Segundo Marques Júnior, além de não repassar o recurso, o Ministério enviou o documento com o nome dos 14 pacientes que tiveram o pedido para o medicamento de segunda linha negado. “É como uma roleta russa, porque essa escolha não teve critério clínico nenhum. Passaram uma régua e quem ficou acima da linha dos 15% foi glosado ([/IP8,0,0]cortado pela portaria). Ou seguimos essa lista ou escolhemos outros 14 pacientes para parar de tratar e condená-los à morte”, completa.

Outros hospitais procurados pela reportagem também afirmam que a porcentagem de pacientes que precisam do medicamento de segunda linha é maior que 15%. No caso do Hospital de Câncer de Barretos, esse índice é de 20%, segundo o hematologista Nelson Siqueira de Castro. “Essa alternativa resulta em uma morbidade bem menor do que o transplante. A doença incide mais a partir dos 60 anos, quando os pacientes costumam ter outras doenças e tendem a ter complicações com tratamentos mais agressivos”, diz.

Também na Santa Casa de São Paulo a indicação para medicamentos de segunda linha contra LMC é superior à taxa indicada pelo Ministério da Saúde. O médico Carlos Sérgio Chiattone, diretor do Hemocentro da instituição, é crítico em relação à portaria. “O governo tem colocado em suas portarias porcentuais de pacientes que podem tomar tal ou tal medicação. A nosso ver, isso é um grande equívoco, a medicina não é matemática.”

O relações públicas Caio Del Roveri Ferreira, de 25 anos, está entre os pacientes da capital que tiveram o pedido de tratamento de segunda linha negado pelo governo. Ele foi diagnosticado com LMC há quase um ano. Nos primeiros seis meses de tratamento seu organismo respondeu muito bem ao remédio de primeira linha, mas a melhora estacionou e exames identificaram uma mutação rara na doença, que só responderia aos remédios de segunda linha. Um mês depois de encaminhar à Secretaria de Estado da Saúde os documentos para o pedido do novo medicamento, recebeu a negativa. A mãe do rapaz, Deise Del Roveri, conta que a situação é desgastante para toda a família. “Ele colocou todas as esperanças nesse tratamento e estava na expectativa desse telegrama.”

O tratamento com remédios de segunda linha pode chegar a um custo mensal de até R$ 10 mil por paciente, segundo estimativas dos próprios usuários. Para a coordenadora-geral de Média e Alta Complexidade do Ministério da Saúde, a oncologista Maria Inez Gadelha, a determinação do teto de 15% foi baseada em dados nacionais dos hospitais que, em auditorias, mostraram os procedimentos mais adequados segundo os protocolos do Ministério.

Segundo ela, nesses hospitais, o total de pacientes que necessitava de tratamento de segunda linha não chegava a 10%. Assim, a parcela de 15% teria sido adotada com uma margem de segurança. A oncologista enfatiza que a intenção é que ninguém fique desassistido.

Apesar de a portaria ser de março, a determinação do teto para a segunda linha só passou a ser aplicada em julho. A presidente da Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale), Merula Steagall, conta que a entidade está alerta à questão e em contato com hematologistas de todo o País para verificar se a medida levará a interrupções de tratamentos. “Verificada qualquer irregularidade, pressionamos o sistema. Mas não queremos alertar antes de os problema ocorrerem”, diz Merula.

Fonte: Jornal da Tarde



Escrito por Élida - Abrale Recife às 07h43
[] [envie esta mensagem] []





Escrito por Élida - Abrale Recife às 07h39
[] [envie esta mensagem] []



Realizando sonhos


A ABRALE, em parceria com a Make a Wish, realizará os desejos de crianças e adolescentes, de 3 a 17 anos, em tratamento de doenças onco-hematológicas. Para participar, basta entrar em contato conosco no 0800 773 9973 ou pelo abrale@abrale.org.br e fazer o seu cadastro!

*Os pedidos serão realizados de acordo com os critérios e demandas da Make a Wish, que tem por missão realizar desejos de crianças ameaçadas por doenças graves.

Para conhecer mais sobre a Make a Wish acesse: www.makeawishbrasil.com.br

 



Escrito por Élida - Abrale Recife às 07h35
[] [envie esta mensagem] []



Abrale alerta: dor nos ossos pode ser sintoma de mieloma múltiplo

A Abrale – Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia – começa neste mês uma campanha de conscientização sobre o Mieloma Múltiplo, tipo de câncer hematológico que atinge quatro a cada 100 mil pessoas acima dos 60 anos e corresponde a 10% dos cânceres hematológicos. A doença, cuja causa ainda não é conhecida, ataca as células plasmáticas, responsáveis pela produção de anticorpos. O tratamento pode exigir um transplante de medula óssea.

O principal sintoma do Mieloma Múltiplo são dores nos ossos e articulações, além de fraturas espontâneas. Por isso, boa parte dos portadores da doença procura ortopedistas para descobrir o que está errado. Parte desses especialistas, por falta de conhecimento aprofundado sobre a doença, demoram a encaminhar o paciente a um hematologista - o médico habilitado a tratá-la.

“O paciente chega ao ortopedista reclamando de dores nas costas. Ele receita um anti-inflamatório. Assim, elimina somente a dor muscular, mas não as dores nos ossos. Quando os pacientes finalmente chegam ao consultório do hematologista, geralmente já estão em fase avançada, com fraturas frequentes ou até o colapso da vértebra”, afirma Celso Massumoto, médico membro do Comitê Científico da Abrale. Se não tratada, o quadro evolui para anemia severa e sangramentos.

“Como em todo câncer, quanto mais rápido o diagnóstico, maiores as chances de cura. Após cinco anos, a taxa de sobrevivência do paciente é de apenas 40%. Por isso, é necessário atingir tanto os pacientes quanto os médicos”, avalia Merula Steagall, fundadora e presidente da Abrale. Celso concorda: “o que falta é informação”.

A entidade distribuirá folderes e cartazes explicativos, com linguagem simples e direta, nos principais hospitais e centros de tratamento. A campanha, realizada em parceria com a Associação Brasileira dos Ortopedistas, também será divulgada nas principais rádios do País por meio de spot.

O tratamento do Mieloma Múltiplo é feito à base de drogas como o Bortezomib (cujo nome comercial é Velcade), aliado ao Fosfato de Dexametasona (Decadron). O índice de resposta a estes medicamentos é de 45%, taxa alta para cânceres. Em pacientes mais jovens, a opção preferida pelos médicos é quimioterapia seguida de transplante de medula óssea.

Abrale- Criada em 2002 por Merula Steagall, a Abrale representa os portadores de onco-hematologias (linfoma, leucemia, mieloma múltiplo e mielodisplasia). Seu trabalho se assenta sobre quatro pilares: apoio ao paciente, educação, informação e defesa de políticas públicas. Com um comitê científico composto por 33 médicos, além de enfermeiros, psicólogos, nutricionistas, dentistas e terapeutas ocupacionais, os quais orientam os quase 30 mil filiados, a Abrale presta apoio médico, jurídico e psicológico gratuitos, além de atuar politicamente por melhoras nos tratamentos e disseminar informação por meio de campanhas e palestras. A entidade integra o Conselho Nacional de Saúde do Ministério da Saúde e é fundadora da Alianza Latina, liga que reúne 56 entidades do gênero em 17 países.



Escrito por Élida - Abrale Recife às 13h49
[] [envie esta mensagem] []



DA GENTE QUE EU GOSTO – VALORES PARA UMA VIDA

Eu gosto de gente que vibra, que não tem de ser empurrada, que não se tem de dizer que faça as coisas, mas que sabe o que tem que fazer e que faz. Gente que cultiva seus sonhos até que esses sonhos se apoderam de sua própria realidade.

Eu gosto de gente com capacidade para assumir as consequências de suas ações, de gente que arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, que se permite, abandona os conselhos sensatos deixando as soluções nas mãos de Deus.

Gosto de gente que é justa com sua gente e consigo mesma, da gente que agradece o novo dia, as coisas boas que existem em sua vida, que vive cada hora com bom animo, dando o melhor de si, agradecido de estar vivo, de poder distribuir sorrisos, de oferecer suas mãos e ajudar generosamente sem esperar nada em troca. Eu gosto de gente capaz de me criticar construtivamente e de frente, mas sem me lastimar ou me ferir. De gente que tem tato.

Gosto de gente que possui sentido de justiça. A estes chamo de meus Amigos. Gosto de gente que sabe a importância da alegria e a pratica. De gente que por meio de piadas nos ensina a conceber a vida com humor. De gente que nunca deixa de ser animada.  Gosto de gente que nos contagia com sua energia.

Gosto de gente sincera e franca, capaz de se opor com argumentos razoáveis a qualquer decisão. Gosto de gente fiel e persistente, que não descansa quando se trata de alcançar objetivos e ideias. Me encanta gente de critério, que não se envergonha em reconhecer que se equivocou ou que não sabe algo. De gente que, ao aceitar seus erros, se esforça genuinamente por não voltar a cometê-los. De gente que luta contra adversidades.

Gosto de gente que busca soluções. Gosto de gente que pensa e medita internamente.  De gente que valoriza seus semelhantes, não por um estereótipo social, nem como se apresentam. De gente que não julga, nem deixa que outros julguem. Gosto de gente que tem personalidade. Me encanta gente que é capaz de entender que o maior erro do ser humano é tentar arrancar da cabeça aquilo que não sai do coração. A sensibilidade, a coragem, a solidariedade, a bondade, o respeito, a tranquilidade/serenidade, os valores, a alegria, a humildade, a fé, a felicidade, o tato, a confiança, a esperança, o agradecimento, a sabedoria, os sonhos, o arrependimento, e o amor para com os demais e consigo próprio são coisas fundamentais para se chamar de GENTE.

Com gente como essa, me comprometo para o que seja pelo resto de minha vida... Já que, por tê-los junto de mim, me dou por bem retribuído.

OBRIGADO POR SER PARTE DESSA GENTE!

Impossível ganhar sem saber perder.

Impossível andar sem saber cair.

Impossível acertar sem saber errar.

Impossível viver sem saber reviver.

A glória não consiste em não cair nunca, mas em levantar-se todas as vezes que seja necessário.

E ISSO É ALGO QUE MUITO POUCA GENTE TEM O PRIVILEGIO DE PODER EXPERIMENTAR.

Bem aventurados aqueles que já conseguiram receber com a mesma naturalidade o ganhar e o perder, o acerto e o erro, o triunfo e a derrota...

QUE DEUS NOS ABENÇOE HOJE E SEMPRE... AMÉM!

Mário Benedetti – Montevidéu - Uruguai



Escrito por Élida - Abrale Recife às 13h44
[] [envie esta mensagem] []



ABRASTA inicia campanha de conscientização sobre talassemia

Quase 3 milhões de brasileiros podem gerar filhos com forma grave da doença

 

 

A ABRASTA (Associação Brasileira de Talassemia) começa uma nova campanha de conscientização no dia 8 de maio, o Dia Internacional da Talassemia. O objetivo é fazer um alerta acerca da doença, que altera a produção de hemoglobina, a proteína do sangue responsável pelo transporte de oxigênio para todos os tecidos do organismo. A associação distribuirá folders informativos em hospitais das capitais de todo o país e palestras em faculdades de medicina.

 

Cerca de 2,7 milhões de brasileiros carregam traços genéticos da doença, o chamado traço talassêmico, e não desenvolvem sintomas nem precisam de tratamento. Porém, ao se relacionarem com outros portadores do gene, podem gerar portadores da talassemia major, forma mais grave da doença, que provoca complicações como aumento do baço, atraso no crescimento e problemas nos ossos, além de exigir transfusões de sangue periódicas (geralmente, a cada vinte dias) por toda a vida.

 

“Um portador de talassemia minor pode passar a vida toda sem saber disso. É aí que mora o problema. Um casal com traços talassêmicos tem 25% de chance de gerar uma criança com talassemia major”, diz Merula Steagall, fundadora e presidente da ABRASTA (Associação Brasileira de Talassemia), entidade que representa os portadores da talassemia no Brasil.

 

Merula, 44, três filhos, é portadora de talassemia major. Os médicos disseram a seus pais que ela não passaria dos 5 anos de idade. “Nunca deixei de fazer nada de que gostasse porque tinha talassemia. Pratiquei paraquedismo. Viajei. Aos 14 anos, já ia para a transfusão sozinha – apesar do pavor da minha mãe”, conta. Hoje, a empresária atua para que outras pessoas tenham as informações e o tratamento ao qual ela teve acesso.

 

Sobre a Abrasta

 

A ABRASTA - Associação Brasileira de Talassemia - é uma entidade beneficente sem fins lucrativos que tem como missão melhorar as condições de tratamento e a qualidade de vida dos portadores de talassemia no Brasil.

Fundada em 06 de agosto de 1982, por um grupo de pais de portadores de talassemia, a ABRASTA é membro participante da
TIF (Federação Internacional de Talassemia).



Escrito por Élida - Abrale Recife às 10h16
[] [envie esta mensagem] []



Olá, Pessoal,

Queria compartilhar com todos vocês uma bela história de superação, de desejo de viver e de busca...

É a história da águia!!! Acho que podemos tirar uma bela lição no texto que vou colocar abaixo, podemos ver que tudo na vida é questão de escolha, e que quando escolhemos viver, lutamos desde cedo para estamos onde estamos. Fomos um dia, uma grande corredor, mais espetos do que milhões de espermatozóides que corriam também querendo chegar primeiro, mas, nesta corrida, quem ganhou foi você. Você foi o primeiro de milhões...

No decorrer da vida, as difuldades, as lutas, algumas vezes, pode deixar embassada esta visão. É nesta hora, que quero mostrá-lhes a águia e junto com ela, a grande de lição de olhar sempre para o alto de buscar novas soluções, de não estagnar nunca.

Para todos refletirem...

Águia (a renovação da águia)

A águia é a ave que possui a maior longevidade da espécie.

Chega a viver 70 anos.

Mas para chegar a essa idade, aos 40 anos ela tem que tomar uma séria e difícil decisão.

Aos 40 anos ela está com:

- As unhas compridas e flexíveis, não consegue mais agarrar as suas presas das quais se alimenta.

- O bico alongado e pontiagudo se curva.

Apontando contra o peito estão as asas, envelhecidas e pesadas em função da grossura das penas, e voar já é tão difícil!

Então, a águia só tem duas alternativas:

Morrer Ou enfrentar um dolorido processo de renovação que irá durar 150 dias.

Esse processo consiste em voar para o alto de uma montanha e se recolher em um ninho próximo a um paredão onde ela não necessite voar.

Então, após encontrar esse lugar, a águia começa a bater com o bico em uma parede até conseguir arrancá-lo.

Após arrancá-lo, espera nascer um novo bico, com o qual vai depois arrancar suas unhas.

Quando as novas unhas começam a nascer, ela passa a arrancar as velhas penas.

E só após cinco meses sai para o famoso vôo de renovação e para viver então mais 30 anos.

Autor desconhecido



Escrito por Élida - Abrale Recife às 09h43
[] [envie esta mensagem] []



 

Estamos encerrando mais uma etapa, é o ano de 2010 que já está abrindo as portas para que venha 2011. Quantas coisas vivemos, quantas alegrias tivemos, quantos sinais de vida e esperança apareceram em nossos corações. Quantas pessoas boas, Deus colocou em nosso caminho. Mas, mesmo com tantas bênçãos, houveram algumas tristezas, sofrimentos e decepções no decorrer de 2010. O que fazer com tudo isso? Vamos carregar este fardo para 2011? Foi pensando na grandiosidade do bem e insignificância daquilo que foi ruim, que pensei nesta mensagem,  uma lenda oriental, que sabiamente nos ensina a colocar as coisas boas e ruins nos seus devidos lugares.Aproveito este momento, para dizer-lhes que hoje entro de férias, retornando na 2ª semana de janeiro. Tenham todos um Feliz Natal e um Ano Novo abençoado, cheio de realizações, muita paz, saúde, sucesso e cuidados no tratamento, por favor! Quero ver todos vocês progredindo de bem para melhor. Vocês são um grande presente de Deus na minha vida, escrevo cada um, cada história, cada sorriso dentro do meu coração.Mas, uma vez, reforço que ABRALE e a ABRASTA não existem por causa das doenças, elas existem por causa de vocês!!!Sintam-se todos abraçados.

APRENDE A ESCREVER NA AREIA


(Lenda oriental)

Dois amigos, Mussa e Nagib, viajavam pelas extensas estradas que circulam as tristes e sombrias montanhas da Pérsia. Ambos se faziam acompanhar de seus ajudantes, servos e caravaneiros.

Chegaram, certa manhã, às margens de um grande rio, barrento e impetuoso, em cujo seio a morte espreitava os mais afoitos e temerários.

Era preciso transpor a corrente ameaçadora. Ao saltar, porém, de uma pedra, o jovem Mussa foi infeliz. Falseando-lhe o pé, precipitou-se no torvelinho espumejante das águas em revolta. Teria ali perecido, arrastado para o abismo, se não fosse Nagib.

Este, sem um instante de hesitação, atirou-se à correnteza e, lutando furiosamente, conseguiu trazer a salvo o companheiro de jornada.

- Que fez Mussa ?

Chamou, no mesmo instante, os seus mais hábeis servos e ordenou-lhes gravassem na face mais lisa de uma grande pedra, que perto se erguia, esta legenda admirável:

"Viandante ! Neste lugar, durante uma jornada, Nagib salvou, heroicamente, seu amigo Mussa".

Isto feito, prosseguiram, com suas caravanas, pelos intérminos caminhos de Allah.
Alguns meses depois, de regresso às terras, novamente se viram forçados a atravessar o mesmo rio, naquele mesmo lugar perigoso e trágico.

E, como se sentissem fatigados, resolveram repousar algumas horas à sombra acolhedora do lajedo que ostentava bem no alto a honrosa inscrição.

Sentados, pois, na areia clara, puseram-se a conversar.
Eis que, por um motivo fútil, surge, de repente, grave desavença entre os dois companheiros. Discordaram. Discutiram. Nagib, exaltado, num ímpeto de cólera, esbofeteou, brutalmente, o amigo. Que fez Mussa? Que farias tu, em seu lugar? Mussa não revidou a ofensa. Ergueu-se e, tomando, tranqüilo, o seu bastão, escreveu na areia clara, ao pé do negro rochedo:

"Viandante ! Neste lugar, durante uma jornada, Nagib, por motivo fútil, injuriou, gravemente, o seu amigo Mussa".

Surpreendido com o estranho proceder, um dos ajudantes de Mussa observou respeitoso:
- Senhor ! Da primeira vez, para exaltar a abnegação de Nagib, mandaste gravar, para sempre, na pedra, o feito heróico. E agora, que ele acaba de ofender-vos, tão gravemente, vós vos limitais a escrever na areia incerta, o ato de covardia! A primeira legenda, ó cheique, ficará para sempre.

Todos os que transitarem por este sítio dela terão notícia. Esta outra, porém, riscada no tapete de areia, antes do cair da tarde, terá desaparecido, como um traço de espumas entre as ondas buliçosas do mar.

Respondeu Mussa:
É que o benefício que recebi de Nagib permanecerá, para sempre, em meu coração. Mas a injúria. . . essa negra injúria... escrevo-a na areia, com um voto, para que, se depressa daqui se apagar e desaparecer, mais depressa, ainda, desapareça e se apague de minha lembrança!

 

- Assim é, meu amigo! Aprende a gravar, na pedra, os favores que receberes, os benefícios que te fizerem, as palavras de carinho, simpatia e estimulo que ouvires.

Aprende, porém, a escrever, na areia, as injúrias, as ingratidões, as perfídias e as ironias que te ferirem pela estrada agreste da vida.
Aprende a gravar, assim, na pedra; aprende a escrever, assim, na areia... e serás feliz !



Escrito por Élida - Abrale Recife às 11h18
[] [envie esta mensagem] []





Escrito por Élida - Abrale Recife às 13h10
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


   

As informações publicadas nesse Blog são independentes da ABRALE
e de responsabilidade única de seus autores.